domingo, 20 de março de 2016

Casas subterrâneas do povo Kaingang estimulo Aquífero Guarani

Através do Planeta Terra, considerado "Ser Vivo" que pulsa, reflexo dos componentes geológicos e eletromagnéticos que o rodeia, estimulando a vários comportamentos dos seres vivos.


O objetivo do estudo foi avaliar se a dois locais diferentes, como testado por Biólogos da Construção ("geopathic estresse zona "[GSZ] versus" zona mais neutro "[NZ]) iria mostrar efeitos significativos a curto prazo sobre o desempenho do trabalho e bem-estar dos ocupantes.

Interessante dizer em momento de crise politica na nação brasileira, temos também recebido muitas influências cósmicas vinda do sol, distorcendo ainda mais as frequências do Planeta Terra.

A Biologia da Construção estuda a sinergia do planeta bem como a construção de habitação e comportamento das pessoas, neste poste descrevemos influências naturais onde ocupamos locais sem analise local, a sociedade sofre com alterações diversas.



 Evolução Sobre Edifício Doente

Com a colonização em grandes áreas não houve preocupação na análise de terrenos de qualidade para uso das construções, simplesmente foram ocupados desrespeitando a estrutura natural do local e seus mananciais.



A etnia "Ge" localiza-se sob o aquífero guarani, piso de grande estimulação bio-elétrica, onde o comportamento kaingang acompanha o estresse geopatologico do espaço.





Os kaingang, uma das 305 atuais etnias do Brasil, já habitavam o Planalto Meridional Brasileiro 3000 mil anos antes da chegada dos europeus. Estes povos eram conhecidos como Proto-Kaingang, povos da Tradição Taquara ou Povo das Casas Subterrâneas.

A arqueologia do sul do Brasil tem dado atenção, desde a década de 60, a um tipo muito especial de antiga ocupação humana encontrada em muitos pontos de planalto nos estados de Goias, São Paulo, Paraná e principalmente Santa Catarina e Rio Grande do Sul, além de alguns achados semelhantes próximos ao litoral, no sul de Santa Catarina. 



Trata-se de verdadeiras casas circulares, escavadas na terra: em alguns casos, em rocha basáltica, em outros, em basalto composto ou rocha mole de arenito. Suas dimensões são variáveis; os registros mais importantes revelam estruturas com tamanhos médios entre 2 e 13 metros de diâmetro com profundidade média de 2,5 a 5 metros de altura, havendo casos registrados de 4 e até 6 metros de profundidade. 

Segundo a descrição de vários pesquisadores, com base nas casas melhor conservadas, sobre a cova circular que delimitava a casa, erguia-se uma cobertura de folhas sustentada em uma armação de madeira, em parte fixada na base da casa, e em parte fixada nas bordas laterais da cova, inclusive com o auxílio de pedras.

Em algumas casas os arqueólogos mencionam ter encontrado um revestimento de piso e, em outras, revestimento em pedra nas paredes ou parte delas.

Ainda que, em um número significativo de sítios arqueológicos se encontrem casas subterrâneas isoladas, é comum encontrar-se conjuntos dessas casas, seja formando pares, seja formando verdadeiras aldeias de mais de 5 casas, sendo vários os agrupamentos entre 8 e 10 delas, e havendo, mesmo, casos de mais de 20 casas em um mesmo lugar.




                                     sem água subterrânea pulsação do solo 76,5Hz/s



 com veio de água subterrânea a pulsação do solo 132,4Hz/s

Casas sobre terreno sem veios de água subterrâneo onde a pulsação por segundo é de 7,83 Hz (equilíbrio natural da Terra), e terrenos que esteja em áreas com veios de água 200-500 metros abaixo do solo, esses veios de água podem ter linhas de tensão vibrando e pode chegar à 250 Hz/s, causando um colapso bio-elétrico (estresse geopatico).

“Qualquer distorção deste nível base 7,83 Hz cria uma tensão com o potencial de enfraquecer o sistema imune de qualquer mamífero vivo acima da distorção, levando a uma maior susceptibilidade a vírus, bactérias, parasitas, a poluição ambiental, doença degenerativa, e uma grande variedade de problemas de saúde”.





A permanência em ambientes desarmônicos biologicamente pode causar alucinação, desequilíbrio mental, dores de cabeça, depressão, retenção de líquidos, má absorção de vitaminas e minerais pelo organismo, distúrbios de sono, brigas e discussões, bloqueio criativo, distúrbios de atenção e foco e stress contínuo.

Quem esta no comando o território ou seus ocupantes?




Traje para ritual funerário


Para eles o som tinha poderes mágicos, estando na base da estruturação do cosmos e sendo poderoso instrumento de intervenção deliberada no mundo físico, como por exemplo produzindo curas.

Praticamente não se produzia música que não tivesse alguma associação com o sagrado, estando presente em toda parte, especialmente nos grandes festejos, quando era praticada coletivamente.

As Cantorias e Declamações Rituais, que recontavam histórias da tradição, descreviam sonhos proféticos, invocavam espíritos e produziam curas e visões, "Cumprem também um papel fisiológico na própria constituição dos estados psíquicos, atualizando a experiência dos eventos míticos".

"Cantar em conjunto, afinar as vozes, significa entrar em acordo profundo e não visível sobre a intimidade da matéria", produzindo uma identificação e afirmação comunitária contra o mar de sons do mundo manifesto.

O que diria a "Civilização Moderna" com seus edifícios nesses locais utilizando materiais construtivos sintéticos e química industrial, como será que seus ocupantes reagem na psique e biológica. Qual a tolerância para o organismo Humano?




Welton Santos
espec. architect and biologist construction


Consultancy and Projects
Architecture & Biology Building
"Principles of healthy and organic architecture projects"