sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

HABITAT QUÂNTICO 28 "Eletromagnetismo e os seres vivos



"Para você sentir como isto é importante, o corpo humano consegue sobreviver ficando alguns dias sem alimento, muitas horas sem água, alguns minutos sem respirar, mas, não consegue ficar nem um segundo sem corrente eletromagnética."

A SAÚDE

Duas forças básicas regem o nosso planeta, a gravitacional e a magnética (geomagnetismo), ambas fundamentais para a manutenção da nossa Saúde. A energia do campo magnético natural está no ar, na água e na terra e atua fundamentalmente na manutenção da Saúde de todos os seres vivos do planeta. Animais e vegetais tem crescimento, desenvolvimento, maturação e ciclo vital superiores quando expostos ao magnetismo.

A intensidade do campo na superfície da Terra neste momento varia de menos de 30 microteslas, numa área que inclui a maioria da América do Sul e África Meridional, até superior a 60 microteslas ao redor dos pólos magnéticos no norte do Canadá e sul da Austrália, e em parte da Sibéria.

O corpo humano possui eletricidade - magnetismo (fraquíssimo), por isso temos campo magnético cerebral (a mais fraca entre todas - 10 Gauss proveniente da corrente elétrica alfa), campo magnético do coração, pulmão, etc.




Recentemente o Dr. Joseph Kirschvink, professor no California Institute of Technology, comprovou que possuímos cristais de magnetita em neurônios. Talvez, seja um resquício evolucionário, já que aves, peixes, insetos e bactérias também o possuem. Embora o doutor duvide que estes cristais magnéticos tenham quaisquer capacidades sensoriais, isso pode sinalizar que fortes perturbações no campo magnético podem afetar a saúde de um indivíduo.

Nos animais, como aves e peixes, estes cristais parecem exercer importante papel na geolocalização usando o campo magnético da Terra.



                                                           ESPECTRO DO ELETROMAGNETÍSMO

PS: Hoje no mundo moderno as pessoas não conseguem viver “O aqui e agora” (momento), sempre correndo e desorientadas  tais efeitos são consequências de ondas de radio, Wifi,  Torres de TV, Celulares, criando uma perturbação celular e cristais de magnetita nos neurônios dos seres vivos.


A CARÊNCIA

Segundo os estudos do Prof. Naoto Kawaida da Univ. de Osaka (1976) a energia magnética do planeta Terra reduziu pela metade nos últimos 500 anos e com tendência de reduzir cada vez mais.

Anos atrás o homem era mais rural, andava descalço na terra, as crianças brincavam em quintais e a qualidade da Saúde era melhor. Hoje o Homem "moderno", urbanizou-se, usa calçado e piso isolante, rua pavimentada, mora em locais onde as estruturas tem muita ferragem, carros etc.., Estes elementos desviam e absorvem o magnetismo, contribuindo assim para uma redução da energia vital para o homem e conseqüentemente deixando-o mais vulnerável às doenças.

A "Síndrome da escassez Magnética" causa o cansaço, dores no corpo, nervosismo, insônia, rigidez nos ombros e nuca, depressão, problemas circulatórios, câimbras, dormências, enxaqueca, desânimo e falta de vontade e disposição e outros sintomas que o homem rural praticamente não sente.



O EFEITO

O Magnetismo atua sobre o corpo humano gerando um novo tipo de eletricidade, chamada indução eletromagnética, capaz de ionizar o sangue, ativando a circulação sangüínea, contribuindo para a melhor oxigenação das células e principalmente melhorando o funcionamento dos nervos autônomos.

As ondas magnéticas produzem um aumento do aporte de oxigênio tecidual através da magnetização da apoferrina da hemácia (metal de ferro existente na corrente sangüínea - bióxido de ferro - glóbulo vermelho), aumentando muito o metabolismo envolvido nas cicatrizações e nos processos de regeneração. Este "tratamento" abrange um vasto número de doenças como: reumatismo, artrite, eczema, varizes, (feridas varicosas), ciafalgia, dores em geral, queda dos cabelos, rugas, doenças degenerativas e outras. Os imãs tem função diferenciada nos seus pólos (norte e sul) a energia emanada do positivo ( Norte ) é aplicada em traumas recentes, dores e algumas infecções, a energia emanada do negativo ( Sul ) é aplicada em dores crônicas, regeneração dos tecidos, cicatrização e inflamação.





Projetos de Arquitetura e Eco-Bioenergia
“Medicina do Habitat e Qualidade de Vida Sustentável”

Welton Santos
arqtº geobiólogo espec. em paisagem urbana e rural.
São Paulo - SP – Brasil